¨AINDA NÃO ESTÁ CONVENCIDO(A) QUE ESTE LIVRO VAI LHE AJUDAR A DECOLAR SUAS VENDAS. SAIBA COMO TUDO COMEÇOU EM MINHA VIDA NA ÁREA DE VENDAS.¨ 

Como tudo começou:

Entre seis e sete anos Lembro-me muito: com idade entre seis e sete anos, eu tinha o costume de brincar de comércio com meus irmãos e colegas. Montava lindos pontos de vendas feitos com a casca do tronco das bananeiras para dizer que eram estabelecimentos comerciais. Recordo-me também que na época existia o Mobral, um ensino para pessoas que se encontravam em atraso na vida escolar. Alguns vizinhos participavam desse estudo e me davam as revistas defasadas, que não usavam mais. Nelas havia figuras de notas de dinheiro que eu recortava, parte delas colocava no caixa e a outra parte dividia com meus irmãos e colegas para brincar de comprar e vender.

Acredito que foi nessas brincadeiras que o grande desejo de ser vendedor nasceu em meu coração. Com oito anos: Foi com essa idade que comecei a vender. Lembro-me de que andei alguns quilômetros para buscar dois cocos secos na casa de um amigo de meus pais. Eles não me cobraram pelos frutos. Chegando em casa, meu pai descascou os cocos e minha mãe fez algumas cocadas. No domingo haveria campeonato de futebol próximo à igreja que frequentávamos. Coloquei as cocadas em uma lata de alumínio e pedi a minha mãe uma toalha que fosse branca para colocar sobre a lata (no meu pensamento infantil, essa toalhinha representaria cuidado e higiene com as cocadas). Após a celebração da missa, de imediato fui para o campo, onde os jogadores se preparavam para iniciar o jogo e muitas pessoas esperavam para assistir ao jogo. Não demorou muito para vender todas as cocadas. Foi um sucesso! Com nove anos: Na época da colheita de feijão, tinha o costume de acompanhar as pessoas que estavam batendo o feijão. Sempre ficavam muitos grãos espalhados na beira do terreiro, que o dono me autorizava a catar. Após conseguir certa quantidade de feijão, eu partia para a feira para vender o que tinha juntado. Muitas vezes conseguia comprar roupas e sapatos com o lucro desse trabalho. Interessante ressaltar que, enquanto catava os grãos, minha mente focava em como venderia o que recolhi, qual estratégia usar. Com dez anos: Nessa idade, catava maxixe para vender na feira. Na primeira vez não fui muito bem: vendi apenas duas dúzias e precisei distribuir o restante do saco quase cheio que havia levado para quem quisesse, sem cobrar um centavo. Não desisti, porém. Na semana seguinte, levei mais maxixe e dessa vez foi diferente: vendi todos. Com onze anos Consegui o primeiro trabalho fixo em um alambique, onde fazia serviços gerais: cortava cana no campo e tinha a responsabilidade de lavar os litros (ou garrafas) que a empresa comprava. Era costume a criançada juntar litros de bebidas vazios para vender no comércio, sendo esse tipo de venda muito rentável. Mesmo prestando serviço diretamente lá, eu conseguia adquirir algumas garrafas com os vizinhos para também vendê-las para a empresa.

Dicas em VENDAS: Livro físico, 56 paginas, muito fácil e gosto de ler.

QUER FALAR ALGO?

                                                               Copyright©2003 Reimivaldo Ramos -Todos os direitos reservados.